quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Carta de uma escritora holandesa sobre o Brasil

Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos. Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado.
Só existe uma companhia telefônica e pasmem!: Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado.
Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne.
Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta.
Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador.
Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de 'Como conquistar o Cliente'.
Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos.
Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa.
Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc... Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais.
Os dados são da Antropos Consulting:
1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial.
2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma.
3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária.
4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo.
5. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina.
6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma.
7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando.
8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.
Na telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas.
10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO- 9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México, são apenas 300 empresas e 265 na Argentina.
11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.
Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil?
1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano?
2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta?
3. Que suas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiais?
4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários?
5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo?
6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados?
7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem?
Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando.
É! O Brasil é um país abençoado de fato.
Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos.
Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques.
Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente.
Bendita seja, querida pátria chamada
Brasil!!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Instabilidades da Hipermodernidade...

Novos desafios se impõem a sociedade humana, a cada passo dado em direção ao futuro, temos o dissabor de nos deparamos com nossa condição frágil, nossa existência vã e desesperançosa. A pergunta que paira sobre nós: Para quê? Vale a pena? Qual o sentido de continuarmos lutando, se nunca há vitória, se nunca encontramos uma paz intensa e duradora?
Este texto pode parecer ao caro leitor, mais uma escrita fatalista e generalizada, desta forma de antemão aviso que não tenho a intenção de agradar aquele que lê, mas sim ser fiel aos meus incômodos. Quem nunca sentiu uma dor dilacerante na alma, algo imensurável, embora sem explicação? Atire a primeira pedra, quem nunca se deprimiu ao assistir o noticiário ou somente de olhar os problemas da própria vida?
Poderíamos fugir? De nossas próprias vidas? Sim, o fazemos com uma freqüência maior do que percebemos... toda vez que sonhamos com o impossível, quando deixamos que nossos olhos deleitem-se com magníficos romances, com belas películas, não estamos fazendo mais do que fugir, nos refugiar atrás de nossas ilusões.
Fantasia, games, redes sociais ... nossas drogas diárias, que nos fazem respirar, acordar, e esperar, somente esperar por mudança, por satisfação, pelo inalcançável.
Talvez seja isso: nunca teremos paz, nascemos para esperar, esperar e não alcançar...
É já dizia o poeta:

“ ... é melhor sentar
Em pé você se cansa
Está provado
Quem espera nunca alcança!”
Acho que esse trecho tem relação direta com os processos psíquicos que sofremos diante das forçosas mediações deste mundo das ideias !

" Sou gravado de forma universal, seio da estamparia, não de casa, da vitrine me tiram, recolocam, objeto pulsante mas objeto que se oferece como signo de outros objetos estáticos, tarifados. Por me ostentar assim, tão orgulhoso de ser não Eu, mas artigo industrial, peço que meu nome retifiquem. Já não me convém o título de homem. Meu nome novo é Coisa. "

Eu sou a coisa, coisamente.

Eu, Etiqueta. Carlos Drummond de Andrade

sábado, 28 de agosto de 2010

ANIMAÇÃO FEITA EM AULA

video

Animação realizada em aula

Realizando uma animação.

A idéia é o trabalho com o conceito de projeto, realizando um planejamento. Para conhecermos as técnicas de base da animação.

TIMING & SPACING

---------------*-------------*--------------------*-----------------

PLANEJAMENTO

Pensar quais OBJETOS aparecem em cada FRAME.

Quais serão os movimentos de cada animação.

Produzir um filme de 15 segundo, sendo 10 fotos por segundo, num total de 150 fotos.

Criar um roteiro, pensando numa história (pré STORY BOARD)





ANOTAÇÕES DA AULA - ANIMAÇÃO

Inicialmente as animações eram realizadas praticamente em linhas de produção, envolvento muitas pessoas. Hoje, já podem ser realizadas por uma única pessoa.

As técnicas de animação possuem cerca de 100 anos.
Porém, desde Ramsés II (1600 a.C.), já era possível ter a sensação de animação, vislumbrando a imagem em movimento. Os desenhos nas colunas em homenagem a Isis eram feitos com pequenas alterações a cada coluna. Para tanto era necesário passar bem rápido, com uma carruagem.
Nos vasos, os gregos também tentavam transmitir a idéia de movimento.

No século 17, surgiu a Lanterna Mágica, que dava a sensação de animação na tela.
Em 1824, Peter Mark Roget, documentou e estabeleceu um artigo para estudo sobre a Visão Persistente. Sendo este, o princípio de base para o cinema (sensação de movimento).

Idéias que surgiram no século 19:
Taumatropo
Kinetoscópio
Zootropo
Praxinoscópio

Em 1986, Edson realizou experimentos de fotografia em movimento.
1906, surgiu a primeira animação filmada "Humorous Phases of Funny Faces". Não havia história. Só movimento e animação.
Emile Cohl em 1908, apresentou uma animação com história.

A primeira animação com som sincronizado é "Steamboal Willie", de 1928, a primeira aparição do Mickey Mouse.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Isto é virtual?

Isto é virtual ?
Rosa Pena


Entro apressada e com muita fome na confeitaria. Escolho uma mesa bem afastada do movimento, pois quero aproveitar a folga para comer e passar um e-mail urgente para meu editor.

Peço uma porção de fritas, um sanduíche de rosbife e um suco de laranja.

Abro o laptop.

Levo um susto com aquela voz baixinha atrás de mim.
— Tia, dá um trocado?
— Não tenho, menino.
— Só uma moedinha para comprar um pão.
— Está bem, compro um para você.

Minha caixa de entrada está lotada de e-mails. Fico distraída vendo as poesias, as formatações lindas. Ah! Essa música me leva a Londres.

— Tia, pede para colocar margarina e queijo também.

Percebo que o menino tinha ficado ali.
— Ok, vou pedir, mas depois me deixa trabalhar. Estou ocupadíssima.

Chega minha refeição e junto com ela meu constrangimento.

Faço o pedido do guri, e o garçom me pergunta se quero que mande o garoto “ir à luta”. Meus resquícios de consciência me impedem de dizer sim.

Digo que está tudo bem, que o deixe ficar e traga o pedido do menino.

— Tia, você tem internet?
— Tenho sim, essencial ao mundo de hoje.
— O que é internet?
— É um local no computador, onde podemos ver e ouvir muitas coisas, notícias, músicas, conhecer pessoas, ler, escrever, sonhar. Tem de tudo no mundo virtual.
— E o que é virtual?

Resolvo dar uma explicação simplificada, na certeza de que ele pouco vai entender e vai me liberar para comer minha deliciosa refeição, sem culpas.

— Virtual é um local que imaginamos, algo que não podemos pegar, tocar. É lá que criamos um monte de coisas que gostaríamos de fazer, criamos nossas fantasias, transformamos o mundo em quase como queríamos que ele fosse.

— Legal isso. Adoro!
— Menino, você entendeu o que é virtual?
— Sim, também vivo neste mundo virtual.
— Nossa! Você tem computador?
— Não, mas meu mundo também é desse jeito...virtual.

Minha mãe trabalha, fica o dia todo fora, só chega muito tarde, quase não a vejo. Eu fico cuidando do meu irmão pequeno que chora de fome e eu dou água para ele imaginar que é sopa. Minha irmã mais velha sai todo dia, diz que vai vender o corpo, mas não entendo pois ela sempre volta com o corpo. Meu pai está na cadeia há muito tempo, mas sempre imagino nossa família toda junta em casa, muita comida, muitos brinquedos, ceia de Natal, e eu indo ao colégio para virar médico um dia.

Isso é virtual, não é tia?

“OS TEMPOS HIPERMODERNOS”, GILLES LIPOVETSKY

É uma nova sociedade moderna, onde tudo se renova a cada instante, tudo deve ser mais rápido, mais novo e mais eficiente – ou seja, é a lógica do sempre mais, sem se saber ao certo aonde isso vai dar. Mas essa nova modernidade é uma modernidade integradora: ela não nega o anterior, recicla-o, de acordo com as lógicas modernas do mercado.
O passado ressurge, a inquietação com o futuro substitui a expectativa com o mesmo, as operações e os intercâmbios se aceleram, o tempo é escasso, o presente se faz extremamente importante.
Os indivíduos hipermodernos são ao mesmo tempo mais informados e mais desestruturados, mais adultos e mais instáveis, menos ideológicos e mais tributários das modas, mais abertos e mais influenciáveis, mais críticos e mais superficiais, mais céticos e menos profundos.

TEORIAS APOCALIPTICAS - TEXTO 3 - O QUE VAMOS DEIXAR

 Os homens pré históricos deixaram as mágicas pinturas nas cavernas.

Os egípcios deixaram as gigantescas pirâmides e seus conteúdos.

Os gregos e romanos deixaram arquitetura e escultura, padrões de beleza e registros de seus filósofos.

A Idade Média deixou templos e igrejas riquíssimas e a tecnologia da prensa móvel.

O Renascimento deixou pinturas muito realistas e a criação da perspectiva.

A modernidade deixou a invenção da fotografia e uma maneira mais livre de expressão e experimentação artística.

E a hipermodernidade o que vai deixar? Hipertextos na Internet e uma inteligência coletiva que só pode ser acessada através de uma máquina?

Meu primeiro Video Game...

Ápos conversa sobre video game, lembrei do meu saudoso "Master System", relembrei a imagem do meu pai chegando em casa com uma caixa ilustrada com o Sonic, fiquei tão feliz, logo plugamos na TV e daí por diante arranjei um compromisso fixo durante as tardes: jogar video game com minha irmã. A partir deste momento, os meus presentes de aniversários não foram mais as bonecas, a cada ano pedia um video game novo: Mega drive, Sega CD, Super Nitendo, Sega saturno, Nitendo 64, Playstation I, II e parei por aí. Ah, parei por aí com video games, porque ainda perco grande parte do meu tempo com os joguinhos do meu celular e com o PSP da minha irmã caçula...

Stop Motion II







Outras histórias, outras pessoas, clicando novos objetos, experimentando outros movimentos...

STOP MOTION





É uma técnica quadro a quadro, ou seja, utiliza fotografias de um objeto que tem seus movimentos modificados levemente em cada clicada, quando essas imagens são projetadas gera a ilusão do movimento.

Em uma oficina de stopmotion, tivemos três horas para realizar uma história que de tão maluca, criou vida própria, dessa forma não seguimos um planejamento linear, a história foi se escrevendo, e a cada momento foram surgindo novos materias, novos movimentos, novas experimentações. Quem diria que uma simples pipoca teria história para contar...






TEORIAS APOCALIPTICAS - TEXTO 2 - A CÂMERA DIGITAL

Por muito tempo relutei em ter uma câmera digital, a idéia de não ter na mão a fotografia, das fotos ficarem guardadas num cartão, ou no computador e a dependência do mesmo para conseguir ver posteriormente me fez acreditar por um bom tempo que o melhor era continuar como minha câmera analógica e minhas fotos reveladas tradicionalmente no papel.

Sem contar a revolução da imagem que parece que começou com este novo modelo de captura de instantes que nem sempre são relevantes e que muitas vezes fazem com que as pessoas se preocupem mais em registrar do que vivenciar esses instantes que guardados no cartão de memória nunca mais serão vistos.

Venho acreditando também que podemos estar caminhando para uma perda de memória uma vez que se o computador der “pau” milhares de fotos insignificantes e algumas significantes podem desaparecer. Me pergunto nossos filhos e netos saberão como éramos quando jovens? Como nos vestíamos? Que lugares frequentávamos? Que referências terão do passado sem imagens que dependem do computador?

Contudo depois de fazer uso por algum tempo de uma câmera digital emprestada vi algumas vantagens que a câmera digital oferece e entreguei-me para essa tecnologia, embora com muitos resguardos, ainda continuo revelando algumas fotos garantindo meus melhores momentos para as gerações futuras.

TEORIAS APOCALIPTICAS - TEXTO 1 - O CELULAR

Esse texto foi feito por mim como parte dos trabalhos pedidos na disciplina O corpo do corpo docente do curso Linguagens da Arte

O CORPO DO CORPO DOCENTE
RELATO DE OBSERVAÇÃO DE COMPORTAMENTO

Nos últimos 5 ou 10 anos não tem nada que venha afetando mais o comportamento e o relacionamento social das pessoas do que o celular.
Para muitos o celular tornou-se uma extensão do corpo, as pessoas andam com ele na mão, pendurado ao pescoço, no bolso da calça ou da blusa e preso na cintura.
Todos, ricos, pobres, crianças, jovens, adultos e velhos estão usando celular, desejo de consumo de muitos, cada vez mais seu uso abre caminho em lugares que antes não faziam falta e que não eram bem vistos, como: no ônibus ou transporte público, na escola e sala de aula, no trabalho, no hospital, no banheiro, no cinema ou teatro, nesses lugares e em outros existem leis que parece que ninguém conhece ou que todos ignoram.
Já ficou normal presenciarmos discussões, conversas intimas, troca de informações sigilosas como senhas de banco e conversas sem pé ou cabeça e que parecem que o único objetivo de estarem acontecendo é apenas o uso do aparelho. Há pessoas que afirmam que sair sem celular é como se estivessem saindo nuas de casa, e que é impossível viver sem celular hoje em dia.
Eu não uso celular e já senti muitas vezes e ainda sinto muita pressão de amigos, e familiares pedindo e tentando me convencer ser adepta do celular, outras pessoas ficam horrorizadas ou admiradas quando digo que não tenho celular por opção.
Voltando de ônibus para casa da escola onde trabalho na periferia da zona norte, observo alunos de outras escolas que estão indo estudar, passando e repassando seus aparelhos uns para os outros com música alta e normalmente funk, nem percebem que existem outras pessoas no ônibus, o fato de ter um celular moderninho, colorido e personalizado com “os rits do momento” parece afirmar sua existência naquele grupo.(só naquele grupo!?)
Paradas ou andando vejo as pessoas se fechando em mundos paralelos nas telinhas de seu celular com joguinhos, lista de contados ou verificando mensagens, o celular também funciona como um grande aproximador de distanciamentos, uma vez que cada vez mais as pessoas estão se olhando menos.

Dica: sebos virtuais

Gente,
esse site mudou meu jeito de me relacionar com os sebos de verdade, e economizei umas boas solas de sapato procurando livros de uma em uma loja.

O link é www.estantevirtual.com.br

Super bacana: dá para fazer a busca pelo título, ver em que sebos tem e pedir para que lhe enviem o livro pelo correio. O que faço também é ver onde são os lugares em que o livro está disponível, e, se forem perto, os busco pessoalmente mesmo (e dou a mim o dinheiro do frete! rs)
Vejam o que acham!

E por falar em solas de sapato, inclusive, uma colega me disse que existe uma outlet virtual de sapatos. Nunca pensei em comprar um par sem antes experimentar.... Pode ser uma experiência...
Fica a dica!

A historia da pipoca

A pipoca é um caso curioso da natureza. Deriva de espigas de milhos nanicas ao se comparar com as espigas normais, e que teriam um fim muito triste, o lixo, mas que teve uma nova história por conta do acaso. Surgiu há mais de mil anos atrás, quando algum índio americano teve a idéia de debulhar as espigas e colocar os grãos nanicos em uma panela para tentar amolecê-los e comê-los, mas de repente os grãos começaram a estourar e se transformando em uma flor branca e macia, muito diferente do que eles já haviam visto. Os índios a utilizavam tanto como alimento como enfeite para os cabelos.
Se pensarmos pela transformação que esses grãos passam, de ser a princípio aquele grão duro, pequeno, e depois transformar-se na flor branca e macia, podemos também pensar que esta transformação é muito simbólica.
Ao ver aquela panela com óleo quente a pipoca deve pensar: “vou morrer”, nem imaginando o que está por vir e a transformação pela qual passará. O fogo é o caminho da transformação. Ao abrirmos a tampa da panela, lá está a maravilhosa flor branca, transformada, modificada, e sabendo que é diferente, quer sair para ganhar o mundo e se espalhar pelo planeta, como estrelas para abrilhantar cada um de nós e nos inspirar também para passar por essa transformação.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Momento hiper!



Olhem só para essa obra!!

É uma escultura do estilo conhecido como hiper-realismo, do australiano Ron Mueck.

Achei que combinava bem com um texto sobre a cultura "hiper" de ser e esse momento atual de apologia ao superlativo: hipermercado, hiperpotência, hipertensão, hipercard, hipermetropia....


Loucura, né?

Para que tudo isso? Para que tanto excesso? Fico pensando nisso, sabia?....

Só o mercado, a potência e o cartão já não estariam de bom tamanho?

E sobre a tensão então, acho que se faz até desnecessário falar: para mim, só tensão já basta!! Hipertensão eu ando dispensando, que já sou tensa por demais....

Mas quanto à imagem eu a achei bastante (ou melhor dizendo, HIPER) impressionante... Não acham?

sábado, 21 de agosto de 2010

POR QUE ALGUMA COISA?

Alguma coisa é melhor do que nada. Isso é um fato.
Existem muitos blogs. Blogs que falam de um único assunto por exemplo, educação, futebol, arte, política e existem blogs que falam de tudo isso junto e mais um pouco.
Também tem aqueles que são como diários abertos, falam da vida de determinada pessoa, famosa ou não.
Esse blog quando foi criado não tinha pretenção de falar de algo específico ou determinado, ele simplismente começou a existir para fala de alguma coisa ou algumas coisas, qualquer coisa(s), com ou sem relação umas com as outras.
O importante é que alguma coisa faça sentido para alguém e não importa para quem ou como, e sim que seja alguma coisa que possa vir a ser alguma outra coisa também, ou não.

VOCÊ ENTENDEU ALGUMA COISA?